quinta-feira, 8 de março de 2012

Canova e a dança




03 de março / 30 de setembro de 2012








Canova foi já celebrado em vida como o maior intérprete do Neoclassicismo e como o novo Fidias , porque ele sabia melhor do que ninguém no mundo trazer a beleza e a perfeição da escultura grega. "As obras de Fídias são de carne e osso, ou seja, a natureza bela ...", ele escreveu ao seu amigo Quatremère de Quincy, em Londres, depois de ver os relevos do Partenon, quase anunciando o que seria a sua arte : deixar os seus mármores com tanta vida, tão vibrantes, o esplendor da seda, de um corpo feminino, a glória imortal de um jovem deus, os sonhos e paixões de todos os homens, porque "os homens sempre foram feitos de carne e não de bronze. "

Canova già in vita fu celebrato come il più grande interprete del Neoclassicismo e come il novello Fidia perché meglio di ogni altro aveva saputo riportare nel mondo la bellezza e la perfezione della scultura greca. «Le opere di Fidia sono una vera carne, cioè la bella natura...», aveva scritto all'amico Quatremère de Quincy, dopo aver visto a Londra i rilievi del Partenone, quasi a indicare quello che sarebbe stato il fine della sua arte: rendere nei suoi marmi così vivi, così palpitanti, lo splendore di seta di un corpo femminile, la gloria immortale di un giovane dio, i sogni e le passioni di tutti gli uomini, perché «sempre sono stati gli uomini composti di carne flessibile e non di bronzo».






Mas o desafio mais inovador ao qual Canova não fugiu foi aquela de medir-se com o motivo difícil da figura em vôo, traduzindo em mármore ou pintado o dinamismo gracioso e leve da dança.

Ma la sfida più innovativa alla quale Canova non si sottrasse fu quella di misurarsi con il difficile motivo della figura in volo, di tradurre in marmo o in dipinto il dinamismo grazioso e leggero della danza.






A poesia da dança e do vôo, a graça encantadora da dança, é o tema é desenvolvido pela exposição "Canova e da dança", no Museu de Possagno.

La poetica del ballo e del volo, la suggestiva leggiadria della danza, è il tema sviluppato dalla Mostra "Canova e la danza", nel Museo di Possagno.






A exposição coloca a disposição do público cada vez maior de entusiastas mais de cinqüenta obras de gráfica e escultura, desenho e pintura, alguns pela primeira vez expostos (como os fundos negros gravados por Martin de Boni sobre o modelo de Tampere da Casa Canova).

L'esposizione mette a disposizione del crescente pubblico di appassionati canoviani oltre cinquanta opere di grafica e scultura, di disegno e pittura, alcune per la prima volta esposte (come i campi neri incisi da Martino de Boni su modello delle Tempere di Casa Canova).






A mostra nasceu de um evento excepcional promovido em Possagno: o Museu Canova, sob o patrocínio deo spa Fassa Bortolo depois de ter conseguido todas as autorizações, foi capaz de reconstruir a Dançaina com címbalos de Canova, modelo que nasceu há 200 anos atrás no atelier do romano do artista: a Grande Guerra a havia desfigurado completamente.

La Mostra nasce da un evento eccezionale promosso a Possagno: il Museo Canova, grazie alla sponsorizzazione di Fassa Bortolo spa e dopo aver raccolto tutte le autorizzazioni, ha saputo ricomporre la Danzatrice con i cembali di Canova, il cui modello è nato giusto 200 anni fa nell'atelier romano dell'artista: la Grande Guerra l'aveva volentemente deturpata.






Hoje, com a engenharia, e a forma do mármore (preservada no Museu Bode de Berlin), foi possível reconstruir parte dos braços, as mãos e os címbalos que foram destruídos. Na mostra, a dançarina com os pratos poderá ser vista exatamente como o Canova a havia modelado.

Oggi, con la reverse engineering, prendendo la forma dal marmo (conservato nel Bode Museum, a Berlino), è stato possibile ricostruire parte delle braccia, delle mani e dei cembali che erano andati distrutti. In mostra, la Danzatrice con i cembali la si potrà vedere esattamente come l'aveva modellata Canova.







Esta é uma obra-prima absoluta de que poderá ser vista ao lado de dois outros dançarinos, cujos modelos de gesso estão no Museu de Possagno: O Dançarino com o dedo no queixo ( destinado ao banqueiro Domenico Manzoni de Forli, perdida após a sua morte, mas logo encontrada pelos Museus Cívicos da cidade) e o Dançarino com as mãos nos quadris.

Si tratta di un capolavoro assoluto che sarà possibile ammirare accanto alle altre due ballerine, i cui modelli in gesso sono nel Museo di Possagno: la Danzatrice col dito al mento (destinata al banchiere forlivese Domenico Manzoni, andata dispersa dopo la sua morte ma in seguito approdata ai Musei Civici della città) e la Danzatrice con le mani ai fianchi.






A representação do movimento nestas obras magníficas parecem quase expandir os corpos leves no espaço.

La rappresentazione del movimento in quei stupefacenti lavori sembra quasi espandere i leggerissimi corpi nello spazio.





http://www.museocanova.it/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=37&Itemid=85&lang=it


Museo Canova di Possagno
Via Antonio Canova, 74 31054 Possagno Treviso, Itália
0423 544323

2 comentários:

  1. Gostei desse comentário de Canova sobre Fídias. No entanto, nunca imaginei ver carne nas esculturas daquele. Não como nas obras de Bernini. A primeira impressão que tive, sempre reforçada, é a de que ele "concretizou" a leveza. Daí ter tudo a ver com a dança.

    ResponderExcluir